Terça-feira, 15 de Março de 2016

 

Esta altura do ano é um bocado melancólica por natureza, seja pela insconstância do tempo, pelas nossas crenças, pelo peso que carregamos, etc..

 

Damos valor à vida, quando nos deparamos com a morte... e por norma dizemos "mais mal é de quem foi"...

 

Todos nós ja nos deparamos com  a partida de alguém ... alguém que não veremos mais na nossa frente...

alguém que vamos deixando de sentir a sua presença..

alguém que nos deu tanto... e agora nos dá tanta dor... 

e quando pensamos que estamos a levantar a cabeça, afinal, ela ainda nem saiu do chão...

 

Há dias que sair da cama é tão duro... Não porque temos que ir trabalhar ou tratar de todo o dia à dia...

é duro... acordar e viver....

Daí pergunto: Mais mal é de quem foi?

ou pior é para quem fica e começa a pensar na morte como algo, não tão mau assim...

 

Mas levantamo-nos todos os dias... lavamos a cara e seguimos em frente...

 

O mais caricato, é que não importa a idade... a morte é sempre um roubo para quem ama..

 

Os meus sinceros sentimentos (sei que palavras de nada valem, quando alguem parte)...

Mas que palavras existirão para se superar semelhante tragédia???? Nenhuma... Não somos assim tão inteligentes que tenhamos inventado um vocabulário à altura de desgraças...

 

Não sei o que se passa no mundo... Optei por não ver telejornais há anos...

 

Porém... quando acompanhava o meu pai, ele disse-me "Não tenho medo de morrer, tenho medo de sofrer e de fazer sofrer!" acrescentou :"Viste quantas crianças e mulheres inocentes morreram esta noite na Siria?"

 

Talvez entre out e nov tenha havido uma guerra na Siria... eu não sei... eu travava a minha propria guerra...

Sou egoista? Talvez!!!! Mas não podia, nem posso fazer nada contra perdar politicas...

Imagino que todos esses familiares sofram muito mais do que eu neste momento... eu vi a minha guerra...

 

Eu vivo os meus traumas pos guerra...

 

Um mês depois alguem me disse "não demoras muito e estarás junto do teu pai!"

 

Tento todos os dias. Ser forte. Mas tenho noção que não estou a fazer o que o meu pai quer...

e quando recebo uma noticia de uma morte, como hoje, fico dilacerada...

 

Peço que anjos me amparem a queda... Sei que um dia destes poderá ser demais para mim...

E também sei que tenho que me aguentar, com todas as celulas do meu corpo...

 

A vida é dura, temos que ser mais duros...

 

O meu melhor neste momento, está a ser fraco e estou a arrastar tudo comigo...

 

Vamos dar a volta. Espero sobreviver, apenas, como dizes, "ate os filhos não precisarem dos pais."

A até nisso estou a falhar. 



publicado por maaf às 16:08
mais sobre mim
Março 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
16
17
18
19

20
21
22
24
25
26

27
28
29
30
31


pesquisar neste blog
 
subscrever feeds
blogs SAPO