Domingo, 20 de Dezembro de 2015

Foi uma noite gira.. Foi um dia em grande... Fui fazer o que tinha a fazer está manhã... Vim super zen... Vim super "eu"... Fui trabalhar... Dei o meu melhor... Fui a um jantar de mulheres... Meu deus... Aquilo que vejo, nem pestanejo... Mais uma vez, obrigado por me teres dado a minha independência... Fomos dançar... Foi giro... Além de ter o "espanta gado" por perto... Ainda consegui "brincar"... Não é a palavra certa.. Mas tu entendes... As 4 horas da manhã.. Olhei o relógio... Há 4 semanas atrás estava no pátio... Ainda incrédula... Será que estava tudo a acontecer? Aconteceu mesmo? Aconteceu... Politicamente... Não é correcto ir dançar.. Apenas 4 semanas após a tua partida.. Mas tu sabes o que penso sobre o "politicamente correcto"... As 4 da manhã... Com os pés e o corpo cansados... Olhei para o nosso relógio... Estavas comigo... No meu pensamento... Só disse "obrigado... Gostei muito..." Foram as únicas palavras que disse ao fulano que me distraiu esta noite... Ele sorriu e respondeu "eu também.." Foi a ultima hora... Eu sei que tenho que parar de te escrever.. Mas quero lembrar-me destas coisas... Quero saber o que fiz, como fiz, como arranjei força para ir ultrapassando a tua partida... Nunca fui tão mimada por ti, como agora... Agora que não estás.. Ensinas-te-me a ser de pedra... E tenho sido... Nada mais.. Neste momento tanto me faz sentir mal ou bem, do que a tua falta ou a tua presença... Habituas-me mal... Disse isso tantas vezes, como quem diz "adoro-te"... Mas não havia essa proximidade de sentimentos... Sinto-me num fim.. Mas sei que após um Fim... Há um Começo... Habituas-te-me mal... Porque me explicavas as pressas tudo o que devia ter aprendido... Como não afogar o motor do poço... Como as torneiras... Raio das torneiras... Não me entendo com elas.. Mas também te culpei tantas vezes... "Eu devia ter nascido homem".... E tudo seria mais fácil para mim.. Muita coisa não prestei atenção.... "Ela nunca pousa os pés no chão"... É verdade... Não tenho tempo... Mas arranjei tempo para ti... Mesmo sem por os pés no chão... Agora vou pousa-los... Numa relva fresca... Onde verás uma tatuagem em cada um dos meus pés... As tatuagens que não entendes-te.... "Pedro" no pé direito... "Inês" no pé esquerdo... Não foi à sorte... Tu sabes agora... Nada foi ao acaso... Nem mesmo o velhinho que me apoiava e dizia que tudo ia correr bem contigo... O senhor não sabia das minhas tatuagens, recém feitas, nessa altura... Lol E disse-me "os pés assentes no chão... O caminho é para a frente." Ainda não percebi de onde o senhor me conhece... Mas tenho-lhe todo o respeito.. Porque quando as fiz... E eu não gosto de tatuagens em mim.... Mas Fiz a pensar nisso mesmo... "Força para caminhar em frente". Nada me acontece por acaso... Nem mesmo as lapadas que a vida me da ao mesmo tempo.... Não fui, não sou, nunca serei, a coragem, a vontade, a dedicação, que tu foste... Mesmo isso custando tanta revolta em Mim, durante tantos anos... Agora percebo... Sou mãe. A prioridade é dar-lhes o que precisam... São 6 da manhã... Estou acordada há horas demais... Hoje, antes da meia noite.. As 21h.. Estávamos a pescar... Estaremos sempre num terreno neutro... Contei tudo à mãe... Sei, que quando ela chegar só me vai abraçar... E agora sim.. De consciência tranquila... Farei o que prometi... Eu vou olhar por ela... Ela vai olhar por mim (e eu sou 3)... Vamos fazer o que queres.. Lamento.. Não te ter mostrado o último serviço feito... Mas pai... Aquilo foi tão bom quem bem as portas... Até eu, faria melhor... Mas tu encontras-te a foto que eu apenas imaginei... E assim será... A partir de janeiro... Vou-me agarrar de unhas e dentes. Vou fazer o que tu queres... E agora... Vou dormir. Fica em paz.

image.jpg

image.jpg

image.jpg

image.jpg

image.jpg



publicado por maaf às 05:48
mais sobre mim
Dezembro 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

15
16
18
19

22
23
24
26

27
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO